Fotografias - Viagem

Origens de Roma


O Coliseu de Roma, um monumento antigo
O Coliseu de Roma, um monumento antigo. Imagem E. Buchot

A República Romana foi fundada em 509 a. C., sendo geralmente aceite a data de 753 a. C. para a fundação de Roma. A monarquia que prevalecia em Roma teria sido derrotada pelo rei etrusco Porsena, que foi contudo obrigado a retirar-se. Os Romanos escolheram então dois cônsules, a serem eleitos anualmente, generais capazes de chefiar o exército em caso de emergência. Quando em guerra, era nomeado um ditador, que todavia não possuía poder militar por mais de seis meses. Teoricamente, o povo era soberano e o Senado tinha o papel de aconselhar, mas na prática o Senado alcançou um enorme poder. Em 451 a. C. o primeiro código legislativo foi inscrito em 12 tábuas de bronze e colocado no fórum.

Durante o século VI a. C., Roma tornou-se uma das mais importantes cidades do Lácio. A partir do século V a. C., os Romanos começam a expandir-se à custa do território etrusco. Face ao ataque dos outros estados latinos, Roma sai vencedora e vê o seu poder confirmado na guerra contra as cidades gregas do sul. As Guerras Púnicas (264-146 a. C.) colocam em liça o poder romano, comandado por Cipião, "o Africano" (235 a. C.-183 a. C.), e o poder cartaginês, sob a chefia de Aníbal, aniquilado em 202 a. C., na batalha de Zama. As Guerras Púnicas terminaram com a destruição de Cartago (146 a. C.) e de Numância (133 a. C.).

Nesta altura, os Romanos ambicionavam dominar todo o Mar Mediterrâneo, derrotando a Síria, a Macedónia, a Grécia e o Egipto, que faziam parte da cultura helénica. Face a este expansionismo, tiveram de estabelecer instituições eficazes para administrar as recém-formadas províncias. Foram designados governadores com poder absoluto sobre os cidadãos não romanos, assistidos por exércitos capazes de manter a ordem.

Entretanto, na própria cidade de Roma cavava-se o fosso entre a aristocracia e o povo, que não tirava nenhum proveito desta expansão, antes via o seu trabalho preterido pelo de escravos e o seu número aumentado pelos agricultores que não conseguiam competir com os produtos agrícolas das províncias. A guerra civil instalou-se, e essa conjuntura levou ao poder Júlio César, que assumiu uma ditadura.

Depois do seu assassinato, em 44 a. C., Roma foi governada por um triunvirato constituído por Marco António, Octávio e Lépido. Octávio obteve o poder absoluto depois da derrota de Marco António no Norte de África. César tinha já juntado ao seu nome o título de imperator , Octávio aceita que o Senado lhe confira o de Augusto, reservado até então aos deuses. O seu governo foi caracterizado pela estabilidade (pax romana ) e pelo desenvolvimento económico. Mas Roma também assistiu ao aparecimento de déspotas cruéis, como Calígula (37-41) e Nero (54-68). Foi sob o governo de Tibério (14-37) que Jesus Cristo foi crucificado, dando lugar ao aparecimento de uma seita, os cristãos, que foram perseguidos e torturados até que, com Constantino I (312-337), o Cristianismo começou a ser favorecido e tornou-se depois, com Teodósio I, uma religião de Estado.

Depois de Teodósio I deu-se a cisão do império em Império Romano do Oriente e Império Romano do Ocidente. O Império Romano do Oriente atingiu um período áureo, sendo conhecido pelo nome de Império Bizantino, que se prolongou pela Idade Média europeia. O Ocidente viu-se invadido pelos Visigodos e a sua queda tornou-se efectiva em 476, quando o germânico Odoacro depôs o último imperador, Rómulo Augusto. Durante o período final da República e no Império, as legiões romanas dominaram por completo o Mediterrâneo, a Europa Ocidental, incluindo a Península Ibérica, e grande parte do Norte de África. Os Romanos aperfeiçoaram o planeamento das cidades (aquedutos, canalização, banhos, etc.), a construção de vias de comunicação e a arte de governar. Souberam igualmente integrar na sua cultura a tradição etrusca e preservar o contributo da civilização grega nos vários campos do pensamento e das artes. O latim tornou-se o veículo de uma tradição literária considerável e, finalmente, o Cristianismo viria a marcar em definitivo todo o percurso do mundo ocidental. © Italia. © Origem Emmanuel BUCHOT e Infopedia.

Fotos de países europeus

Imagens Republica Checa

Republica Checa

Fotos Informações

Imagens Croacia

Fotos de Croacia

Fotos Informações

Alemanha

Alemanha

Fotos Informações

Portugal

Portugal

Fotos Informações

Imagens Grecia

Imagens de Grecia

Fotos Informações

Imagens de Inglaterra

Inglaterra

Fotos Informações

imagens  Holanda

imagens Holanda

Fotos Informações

Eslovenia

Eslovenia

Fotos Informações

Imagens Dinamarca

Dinamarca

Fotos Informações

Imagens da Ásia

Imagens India

Imagens India

Fotos Informações

Imagens Vietnam

Imagens Vietnam

Fotos Informações

Imagens China

Fotos China

Fotos Informações

Imagens de Hong Kong

Fotos Hong Kong

Fotos Informações

Coreia do Sul

Coreia do Sul

Fotos Informações

Japao

Fotos Japao

Fotos Informações

Tailândia

Imagens Tailândia

Fotos Informações

Taiwán

Fotos Taiwán

Fotos Informações

Fotos da América

Estados Unidos

Imagens Estados Unidos

Fotos Informações

Canada

Fotos de Canada

Fotos Informações

Informações no site